Sempre é necessário relembrar que a busca por justiça passa, necessariamente, pela indignação e denúncia da injustiça que acontecem a nossa volta. Denunciar a injustiça é viver em desacordo com as estruturas sócio-política-econômicas de seu tempo.

Nossa sociedade está profundamente marcada pelo domínio externo do hemisfério norte. Vivemos em um modelo neo-liberal imposto sem possibilidades de libertar-nos. Segundo Darcy Ribeiro para compreendermos esta relação de dominação devemos levar em consideração quatro principais tensões: 1) as disputas entre as potências imperialistas industriais; 2) a oposição entre os povos atrasados e seus exploradores; 3) o antagonismo entre o campo capitalista e o socialista e 4) as tensões inter-socialistas. Estas tensões, foram estabelecidas por Darcy Ribeiro no início dos anos 70, quando ainda existia o socialismo soviético, mas não podemos deixar de ver como são atuais, mesmo entendendo que sem o socialismo soviético as tensões se reduzam às duas primeiras.

Continuar lendo

Após algum tempo de investigação e julgamento a USP condenou os professores do Instituto de Física (prefiro não citar nomes) por plágio.

Contudo, a condenação foi branda, pois a comissão de ética da USP considerou que o acontecimento não foi deliberado (apesar de ter ocorrido em dois artigos diferentes e os autores plagiados não são os mesmos!!!) ou ato de má fé! O comunicado da comissão diz: “Houve um desvio ético na redação dos mesmos por uma inaceitável falta de zelo na preparação dos artigos publicados” (cf. matéria on line da Folha de São Paulo).

Agora, sejamos francos! Se houvesse um maior rigor na formação dos profissionais, até mesmo de áreas das Ciências Naturais como a Física, punindo-se os alunos por esses desvios éticos acredito eu que não teríamos problemas como esse.

Mas é notório que não só plágio, mas como a compra de trabalhos acadêmicos (até mesmo os famosos TCC’s), o que não configura plágio pois o trabalho pode ser, realmente, original, mas não feito por quem o entrega à banca examinadora, ocorre na realidade acadêmica brasileira. O que é uma vergonha.

Sou mestrando em Filosofia, defendo minha dissertação em Dez/2008, e o que já recebi de propostas para fazer trabalhos para outras pessoas não está escrito!! Desde simples resumos de obras, solicitadas como trabalho para disciplinas até mesmo a confecção de trabalhos inteiros de pesquisa. É vergonhoso!!

Temos, como membros da academia, que levantar nossas vozes e pensar uma maneira de coibir esse tipo de “desvio ético” já no início da vida acadêmica e não somente em casos extremos como esses!

Lutemos por ética na vida e não por uma vida pautada pelo famoso “jeitinho brasileiro”!