Retomando as atividades

Em ritmo de férias, mas já preparando-me para assumir as minhas funções.

O ano de 2010 foi um ano de muito trabalho, trabalho árduo mas compensador.

As atividades do GPEGRA – Grupo de Pesquisa em Epistemologia Genética da Região Amazônica caminharam bem durante o ano de 2010. Tivemos boas reuniões e o crescimento dos discentes envolvidos no conhecimento da Epistemologia Genética foi muito bom. Agora, em 2011, temos o desafio de institucionalizar o grupo junto à UNIR e ao CNPq.

Além da institucionalização do GPEGRA, temos como desafio a realização do I Congresso de Epistemologia Genética da Região Amazônica. Desafio enorme, haja vista que o fator amazônico é um complicador que, na grande maioria das vezes, não só dificulta como impede a realização de eventos na nossa região. Temos o ímpeto de, no mínimo, contornar esse “fator amazônico” e consagrar a região com a realização de um evento de grande nível na discussão da Epistemologia Genética. Interligando, desse modo, a região norte com as demais regiões do país como um pólo de referência nas discussões Epistemológicas e, mais especificamente, da Epistemologia Genética.

No Ensino também tivemos, em 2010, um trabalho árduo nos diversos cursos da UNIR em que estive diretamente envolvido como docente. Foram várias disciplinas tais como: Introdução à Filosofia, Metodologia e Prática de Pesquisa em Filosofia, Teoria do Conhecimento I e II,. Enfim, um trabalho que é deveras compensador ao ver o progresso dos discentes. Frutos que, na verdade, só vou colher daqui a alguns anos quando se formarem e se tornarem profissionais e aplicarem o conhecimento adquirido tanto nas disciplinas que estive diretamente envolvido quanto nas demais em suas práticas diárias, e poder encontrar com esses discentes egressos e vê-los realizados.

Em 2011 não será diferente, com certeza o trabalho será árduo mas compensador. Estarei a frente de diversas disciplinas novamente, outras turmas, outros rostos, mas a mesma dedicação e mesmo empenho em tornar as disciplinas palatáveis e apresentar o caminho do conhecimento a esses novos rostos.

O desafio do professor de Filosofia vai além da transmissão de conhecimentos. Somos responsáveis pela mudança de paradigmas na vida dos discentes levando-os à refelxão e à compreensão de que a vida não se resume em ganhar dinheiro, mas em ser alguém que faça diferença em seu meio, em sua sociedade. Ao conseguir que, ao menos um dos discentes que estarão sob minha responsabilidade esse ano, olhe o mundo com outros, olhos meus objetivos terão sido alcançados. Somos mais que números em estatísticas governamentais, somos mais que valores de mercado, somos seres humanos que precisam compreender as questões básicas: quem somos e porque estamos aqui.

O ano de 2011 mal começou, minhas férias não terminaram e os desafios se multiplicam diante de mim. Mas, não os encaro como estorvo o problemas, mas como oportunidades das quais tenho plena certeza: estou pronto para eles. Que venham os desafios, pois só assim a vida será muito mais emocionante.

2 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *